As estrias são cicatrizes formadas devido ao rompimento das fibras elásticas da pele, podendo aparecer na forma avermelhada, que é a mais recente, ou na forma esbranquiçada. Embora não exista uma cura definitiva, há tratamentos que podem ser mais ou menos eficazes na amenização do aspecto dessas cicatrizes e um deles é o tratamento a laser para estrias. O laser utilizado nesse tratamento é o de CO2 fracionado e pode ser utilizado tanto para estrias avermelhadas quanto para estrias esbranquiçadas.

Nas estrias mais recentes, a aplicação desse laser promove um fechamento dos pequenos vasos sanguíneos da região, fazendo com que a coloração da região se aproxime à da pele e melhorando seu aspecto. Além disso, a produção de colágeno também é estimulada, de modo a melhorar a aparência das estrias.

Já no caso das estrias antigas o laser atua de modo a aproximar as bordas da estria, fazendo com que ela se torne menos aparente e ganhe um aspecto melhorado. A produção de colágeno também vai ser estimulada e o objetivo é unicamente a redução do tamanho e da aparência dessa cicatriz.

O laser é um dos tratamentos que fornece os resultados mais rápidos, mas ainda assim é preciso fazer no mínimo cinco sessões para começar a observar os primeiros resultados.

O intervalo entre as sessões pode ser de um mês ou de duas semanas e a quantidade final de sessões dependerá do tamanho da área afetada e das características das estrias, já que as avermelhadas, por serem mais jovens, possuem um processo mais rápido de tratamento.

O tratamento a laser também não é indicado para grávidas, mas essa é uma decisão que deve ser tomada com o médico.